Beba com responsabilidade e se beber não dirija.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

28 - 8.6 BLOND E RED



Caros amigos leitores do blog Cerveja Especiais hoje iremos falar de duas cervejas fabricadas na Holanda, as famosas Bavaria 8.6 (blond e red). São fabricadas pela mesma cervejaria a Bavaria Brouwerij.

Sim prezados navegantes ... vocês leram certo ... hoje vamos falar da cerveja Bavaria.... mas não aquela “dos amigos”.... Deus me livre.

As cervejas Bavaria 8.6 blond e red são enquadradas, segundo o site Brejas, no estilo Malt Liquor que seria “um termo surgido nos Estados Unidos para classificar as lagers fortes que têm alto teor de álcool devido à adição de açúcar, enzimas ou outro ingrediente em complemento ao malte. Geralmente são licorosas no paladar e não muito amargas, pois em muitos casos nem levam lúpulo.” (Brejas).

Porém conforme descrito no Larousse da Cerveja a espécie Malt Beer faria parte do gênero Specialty Beer, que na verdade não seria um estilo propriamente dito, mas uma categoria na qual se inserem todas as demais cervejas que não se enquadram em nenhum outro estilo. (Larousse da Cerveja).

No geral essas duas cervejas são de baixa fermentação (lager) e se destacam pelo seu alto teor alcoólico, que fica presente no paladar através de seu gosto adocicado.

Então vamos falar um pouco de cada uma....


Cerveja: BAVARIA 8.6 SPECIAL BLOND BEER
Cervejaria: Bavaria Brouwerij
Estilo: Malt Liquor
Teor Alcoólico: 7,9%
Local de origem: Holanda.
Degustada: 23/04/2011

Essa 8.6, como o próprio nome sugere, é uma cerveja de coloração dourada (blond), porém é uma cerveja forte, bem carregada de malte, fato que lhe dá generosos 7,9% de teor alcoólico. É feita com cevada produzida na Holanda, França e Escandinávia e lúpulos da Alemanha e dos EUA.

No aroma salienta belo bouquet de malte e whisky. No paladar notas de frutas secas e toques licorosos do malte (adocicado), logo partindo para um final amargo e duradouro na boca. Uma bela combinação e um grande equilíbrio entre o adocicado do malte (devido o alto teor alcoólico) e o amargor do lúpulo.

Quanto à espuma pode-se dizer que é de coloração branca, com cremosidade média e boa duração.
Copo Lager

Revela-se uma cerveja muito interessante de ser apreciada com muita cautela pelo seu dulçor e teor alcoólico.

Copo indicado para degustar a 8.6 blond é o Tulipa, com o intuito de ressaltar os aromas dessa cerveja, porém o utilizado na ocasião foi o Lager.
Tulipa


Cerveja: BAVARIA 8.6 SPECIAL RED BEER
Cervejaria: Bavaria Brouwerij
Estilo: Belgian Blond Ale
Teor Alcoólico: 7,9%
Local de origem: Holanda.
Degustada: 19/07/2011


Cerveja de baixa fermentação (lager), com coloração rubi (muito bonita e chamativa). Aroma desperta novamente um bouquet adocicado, porém desta vez com uma mistura de caramelo. No paladar apresenta-se mais encorpada que a Blond destacando notas adocicadas carregadas e toques de caramelo, com final levemente amargo do lúpulo, dando uma sensação de retrogosto de cereja. Esse equilíbrio final dado pela lupulagem é o que evita que essa cerveja se torne enjoativa.

Espuma de coloração bege (caramelizada), densa e bem duradoura. Apresenta média carbonatação, deixando perceptível bolhas de gás agarradas nas paredes do copo, que para a apreciação desta cerveja deve ser o Tulipa.

Copo Tulipa
    









Fontes de Pesquisa.

MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.



Site Cervejaria Bavaria: http://www.bavaria86.com


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

27 - FULLER'S DISCOVERY




Copo Lager
Cerveja: FULLER’S DISCOVERY
Cervejaria: Fuller’s
Estilo: Blond Ale
Teor Alcoólico: 4,5%
Local de origem: Londres, Inglaterra.
Degustada: 17/06/2011

A Discovery é uma cerveja de alta fermentação (ale), fato que lhe garante um certo sabor frutado, porém é uma bebida leve e refrescante, de coloração amarelo dourada. Os resquícios da fermentação ale conferem a Discovery gosto frutado que para mim remete a gosto de mamão verde, característica das Fuller’s.

Predomina o sabor amargo do lúpulo Saaz, com notas aromáticas de álcool lembrando de forma bem leve algo aproximado a blend de whisky. Retrogosto levemente amargo que se dissipa logo. Em sua composição utiliza-se um mix de grãos de trigo e cevada. Espuma branca de pouca duração.

É uma bela cerveja para se apreciar, por ser leve, com sabor inicial lembrando adocicado do malte, de certa forma semelhante a biscoito, contudo contém notas lupuladas que rapidamente assumem o comando espantando o toques de cevada e trigo, dando um toque todo especial a essa legítima Fuller, que, repito, no meu paladar remete a um sabor característico de mamão verde.

Copo indicado para degustação da Discovery: Caldereta, PintTulipa, , Lager (segundo o Larousse e usado na ocasião).

                              
                     Caldereta                                        Pint                                        Tulipa


Assista abaixo um vídeo institucional da Fuller's sobre a cerveja Discovery e suas características.


Fontes de pesquisa:

MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.


Site Fuller: http://www.fullers.co.uk/  



sexta-feira, 19 de agosto de 2011

26 - COLORADO DEMOISELLE


Demoiselle acompanhado de castanhas
Copo Caldereta

Cerveja: COLORADO DEMOISELLE
Cervejaria: Colorado
Estilo: Porter
Teor Alcoólico: 6%
Local de origem: Ribeirão Preto/SP, Brasil.
Degustada: 23/04/2011; 11/05/2011; 02/07/2011


Cerveja Colorado Demoiselle.... está aí a minha cerveja favorita. Não sei explicar que fascínio eu tenho por esta cerveja, começa desde o visual, devido ao belo rótulo e a cor desta cerveja, chegando ao gosto de café. Isso mesmo.... cerveja de café, mas com paladar bem equilibrado, não é aquele gosto enjoativo e intragável não.

Na verdade foi degustando uma Demoiselle que tive a ideia de criar esse blog, posso dizer que essa Porter foi a minha “musa” inspiradora. Tudo começou neste dia, então comecei a fotografar as cervejas que ia experimentando e iniciei a procura por novas cervejas especiais para divulgar a vocês.

Copo Tulipa
A Colorado Demoiselle é uma cerveja do estilo Porter, nome derivado dos trabalhadores portuários que misturavam a cerveja ale com outras para conseguir uma cerveja mais escura, de sabor mais forte e alto teor alcoólico. Esse estilo caracteriza-se por conter cervejas elaboradas com malte bastante torrado. São cervejas de cor escura com aromas lembrando nozes, chocolate, café e com espuma castanha.

O nome Demoiselle dado a esta cerveja é uma homenagem ao brasileiro Alberto Santos Dumont, cuja família era proprietária de fazendas de café na região de Ribeirão Preto. Em 1907, Santos Dumont criou o aeroplano e o nominou de Demoiselle (percebam a estampa do rótulo desta cerveja).

Bem... falando propriamente da Colorado Demoiselle pode-se dizer que é uma cerveja de alta fermentação (ale), que além de ser feita com maltes torrados (o que lhe proporciona essa cor negra) leva em sua composição generosa quantidade de café, que é comprado de produtores da região de Ribeirão Preto, torrado segundo padrões da própria cervejaria e macerado em água fria para ser adicionado ao mosto cervejeiro.

O mestre cervejeiro da Colorado explica que os grãos de café são macerados em água fria para evitar que o café perca seus melhores aromas devido às altas temperaturas presentes no processo de brassagem (cozimento do mosto).

Demoiselle e feijoada
É uma cerveja de coloração escura (preta), com agradável aroma de café, que deixa notas marcantes desse grão no retrogosto. De lupulagem média para fraca, dá um equilíbrio perfeito de amargores. Com espuma cremosa, bem persistente e coloração caramelo. Possui baixa carbonatação e harmoniza perfeitamente com castanha (para aperitivo), feijoada (como prato principal) e até com sobremesa a base de chocolate, nozes ou café.

Apesar de ser uma cerveja com notas de café possui alta drinkability, ou seja, sempre fica uma vontade de tomar outro gole. Repito, para mim é uma cerveja com lugar cativo em meu estoque.

Cabe lembrar que a Colorado Demoiselle é uma cerveja de grande prestígio internacional e foi ganhadora da medalha de ouro no European Beer Star 2008, sendo eleita a melhor da categoria Porter.
Copo Caldereta

Copo ideal para acompanhar essa cerveja especial: Caldereta (é o copo padrão da microcervejaria Colorado), Tulipa e Pint.
Copo Pint

Para ver mais fotos da cerveja Colorado Demoiselle e outras acessem o Facebook do Cervejas Especiais (na barra à direita).

Fontes de pesquisa:


MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.




quinta-feira, 18 de agosto de 2011

25 - BAMBERG RAUCHBIER

Cerveja: BAMBERG RAUCHBIER
Cervejaria: Bamberg
Estilo: Rauchbier
Teor Alcoólico: 5,2%
Local de origem: Votorantim/SP, Brasil.
Degustada: 11/05/2011

Esta é uma cerveja diferenciada, de baixa fermentação (lager), desenvolvida com maltes defumados da região de Bamberg, na Alemanha.

Rauch significa fumaça em alemão e leva tal prefixo no nome pelo fato de seus maltes serem defumados por madeiras da região. Por esse motivo esta cerveja possui um leve paladar defumado que toma conta da boca, mesclando-se com notas de caramelo e um leve amargor do lúpulo.

Toda essa combinação propicia um final seco. De média carbonatação e bem encorpada. Possui coloração acobreada escura (quase marrom) e teor alcoólico de 5,2%.

Espuma de cor caramelo leve pouco duradoura. Aroma marcante do defumado, amadeirado, além do caramelo, provenientes do malte.

O resultado é uma cerveja sofisticada, de paladar seco, sem ser enjoativa e indicada para harmonizar com charutos, além de carnes defumadas e feijoada.

A cerveja Bamberg Rauchbier foi eleita a segunda melhor cerveja do mundo em seu estilo, conforme premiação na European Beer Star 2009. Da mesma forma, a revista Prazeres da Mesa elegeu as 50 melhores cervejas nacionais e importadas a venda no Brasil e dita cerveja conquistou o segundo lugar no Ranking. E em 2010 foi eleita foi a World's Best Flavoured Lager. Como se não bastasse essa premiadíssima cerveja nacional ganhou medalha de ouro no Mondial de La Bière em Strasbourg na França, pelo estilo Rauchbier.



Copos indicados para degustação de cerveja estilo Rauchbier: Cilíndrico (tipo utilizado na ocasião é um cilíndrico levemente curvado, puxando ao lager), Caldereta, Tulipa e Pokal.
Caldereta







Pokal
Tulipa







Para ver mais fotos sobre esta e outras cervejas acesse o Facebook do Cervejas Especiais na barra lateral à  direita.

Fontes de pesquisa:

MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.


Site Cervejaria Bamberg: http://www.cervejariabamberg.com.br


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

24 - ARTE PARA BEBER - Documentário de Thales Carneiro

Estimados leitores do blog Cervejas Especiais hoje fiquei muito contente ao receber um e-mail divulgando um novo documentário nacional sobre cervejas artesanais.

O documentário em questão chama-se ARTE PARA BEBER e foi produzido por Thales Carneiro do site Gole de Cerveja.

Realmente fico feliz quando vejo que existem pessoas realmente dedicadas a difundir a cultura das cervejas especiais e o Thales é um deles, basta assistirem o documentário por ele produzido, aliás um trabalho de alto nível com entrevistados que conhecem profundamente acerca do tema.

Sem mais delongas posto os vídeos do referido documentário e indico a todos que leiam assiduamente o site do Gole de Cerveja.






Fonte de Pesquisa:

Site Gole de Cerveja: http://www.goledecerveja.com.br/

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

23 - NOVAS CERVEJAS BACKER


Novas cervejas especiais no pedaço.....

Segundo informações veiculadas no caderno eletrônico Paladar (do Estadão), de autoria de Roberto Fonseca, novas cervejas Backer estão a caminho, desta vez inspiradas na escola americana, mais lupulada e aromáticas. Serão parte integrante da linha “extrema” lançada pela cervejaria mineira.

Acessem a matéria completa no site do Estadão, clicando aqui.

Porém o que se destaca é que a inspiração cervejeira americana não ficou restrita a receita, mas também aos rótulos dessas cervejas, que se assemelham muito com os da Flying Dog.


                               

Imagens retiradas do site do Estadão (Paladar).

Os estilos das cervejas acima são respectivamente: Imperial Porter, Weiss (trigo, com capim limão), IPA (com raspa de laranja) e Pilsen (com açúcar mascavo). 

Fontes de pesquisa:

22 - COLORADO INDICA


Cerveja: COLORADO INDICA
Cervejaria: Colorado
Estilo: India Pale Ale
Teor Alcoólico: 7%
Local de origem: Ribeirão Preto/SP, Brasil.
Degustada: 12/03/2011 e 13/05/2011


Prezados leitos do blog Cervejas Especiais, é com muito prazer que voltamos a falar das cervejas da Colorado.

Como é de conhecimento de todos, sou um verdadeiro fã dessa microcervejaria de Ribeirão Preto. Todas as cervejas produzidas pela Colorado são top de linha, cada uma em seu estilo se destaca por utilizar produtos tipicamente nacionais. E a Colorado Indica não poderia ser diferente, essa extraordinária India Pale Ale leva em sua receita RAPADURA.... isso mesmo, rapadura, que segundo o proprietário da cervejaria é adquirida sempre de um mesmo produtor da região.

Mas o fato de esta cerveja conter em sua receita Rapadura não a faz uma bebida doce e leve, bem pelo contrário, esta cerveja é robusta e de alto teor alcoólico (7%), dentro dos padrões do estilo IPA.

Segundo a própria descrição do fabricante é uma “cerveja de alta fermentação (ale) elaborada com generosas quantidades de malte, lúpulo e rapadura, visando conferir-lhe grande corpo, amargor e teor alcoólico”. Como já explicado em postagens anteriores esse estilo de cerveja IPA (India Pale Ale) surgiu no século XVII, pois nessa época as tropas militares britânicas que se encontravam situadas na Índia necessitavam de suprimentos dentre eles muita cerveja. Porém as cervejas comuns da época não suportavam longas viagens e o calor daquela região e logo azedavam, neste instante surge como alternativa aumentar as quantidades de malte e lúpulo para conservar ditas bebidas, que automaticamente se tornaram mais alcoólicas.

A Colorado Indica é composta por lúpulo inglês, malte convencional e tostado, o que justifica seu amargor e sua pigmentação mais escura. Seu processo de fabricação dura em média 28 dias.

Copo Tulipa
Cerveja com coloração ruiva (avermelhada), com espuma bege clara, bem cremosa e duradoura. Aroma que destaca notas de lúpulo misturadas com melado (proveniente da rapadura). No gosto percebe-se de forma bem equilibrada um adocicado inicial do malte e do álcool, logo percebendo toques tostado, passando para um leve amargor que persiste no final. Cerveja bem encorpada, com média carbonatação. Uma cerveja excelente com gosto equilibrado que te convida para o próximo gole. Em resumo é uma ótima representante nacional do estilo IPA.

Copo recomendado é o caldereta, pois por falta do copo adequado a época o utilizado foi o tulipa e o lager (sei que é uma falha minha, mas não iria deixar de beber essa maravilha de cerveja por falta de copo.... agora já tenho o copo caldereta na minha coleção).


Caldereta (Brejas)







Fontes de pesquisa:




quinta-feira, 11 de agosto de 2011

21 - RAGING BITCH


Cerveja: RAGING BITCH
Cervejaria: Flying Dog Brewery
Estilo: Belgian Indian Pale Ale
Teor Alcoólico: 8,3%
Local de origem: Frederick, Maryland, EUA.
Degustada: 28/05/2011

Caros amigos leitores do blog Cervejas Especiais hoje falaremos dessa extravagante cerveja americana que surgiu para comemorar os 20 anos da cervejaria Flying Dog. E a comemoração não podia ser simples, então logo de cara decidiram lançar uma cerveja que mistura duas escolas cervejeiras a Belga e a America (embora alguns entendidos no assunto não aceitam elencar como escola cervejeira a americana).

Mas afinal o que essa cerveja tem de belga e de americana?

Primeiro devemos explicar um pouco do estilo dessa cerveja, que é uma IPA (Indian Pale Ale). A IPA “comum” surgiu no século XVIII derivada da necessidade de abastecimento das tropas do Exército Britânico residentes na Índia, durante o período de colonização neste país. As condições climáticas da Índia eram desgastantes para os ingleses, devido ao alto calor e falta de água potável.

Sem água para beber, vai de cerveja mesmo....  mas ocorre que a cerveja produzida na Inglaterra estragava durante a longa viagem até a Índia, então resolveu adicionar maiores quantidades de lúpulo para conservar a bebida e para agüentar a viagem.

Desta forma surge a Indian Pale Ale, cervejas mais encorpadas (teor alcoólico nunca inferior a 5%), extremamente frutadas (características das ales) e carregadas no amargor (graças ao lúpulo). Uma dádiva entre os apreciadores de cervejas especiais.

Bem, mas voltando a Raging Bitch, como dito anteriormente, há uma mistura de características belgas e americanas nessa cerveja.

De belga pode ser encontrado o fermento utilizado nesta bebida e de americano a diversidade e quantidade de lúpulos utilizados na receita. Na realidade são utilizados três tipos de lúpulo nesta cerveja o Warrior, o Columbus e o Amarillo (este último adicionado na fase de maturação, método chamada de dry hopping).

As características desta cerveja são interessantíssimas. É uma cerveja de alta fermentação (ale). Coloração alaranjado escuro (puxando para uma avermelhado), levemente turva.

É uma cerveja um tanto quanto encorpada, com carbonatação média e formação de espuma densa e cremosa, de cor branca. Possui aroma muito frutado lembrando notas de abacaxi, uva verde e o cheiro herbáceo típico do lúpulo. No gosto percebe-se bem o adocicado inicial resultante do seu alto teor alcoólico, mas logo se equilibrando, quando entra em cena o amargor dos lúpulos. Para se ter uma ideia do amargor desta cerveja ela contém 60 IBU (international bitterness units, que é uma medida mundial de amargor de cerveja), em contrapartida as cervejas comuns que nós tomamos aqui no Brasil (loira gelada – American Standard Lager), possuem entorno de 10 a 12 IBUs.

Também não podemos deixar de falar na beleza dos rótulos dessa cervejaria, neste caso a estampa é de uma legítima “cadela raivosa” (Raging Bitch).

Copo indicado para servir essa cerveja é a Caldereta.

Caldereta









Fontes de pesquisa:

MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.


Site Flying Dog: http://flyingdogales.com/



sexta-feira, 5 de agosto de 2011

20 - MEDIEVAL

Estimados amigos... hoje é o Dia Internacional da Cerveja... e para comemorar esse dia nada mais justo do que postar uma matéria sobre uma cerveja que me chamou a atenção dias atrás... a MEDIEVAL.... cerveja brasileira prá lá de especial.



Cerveja: MEDIEVAL
Cervejaria: Backer
Estilo: Belgian Blond Ale
Teor Alcoólico: 6,6%
Local de origem: Belo Horizonte/MG, Brasil.
Degustada: 02/07/2011


A Medieval é uma cerveja de alta fermentação (ale), na qual se utiliza leveduras belgas que conferem a esta bebida um agradável sabor frutado.

Esta cerveja foi inspirada na tradição produtiva de cervejas de abadia dos monastérios medievais. Tal inspiração já percebe-se só de olhar para a garrafa dessa cerveja, começando pelo nome (Medieval), passando pelos símbolos planetários estampados no rótulo e terminando com o lacre de cera que envolve a tampa dessa enigmática bebida.

Sim caros leitores..... essa cerveja possui um lacre de cera entorno da tampa, que pode ser rompido apenas quebrando-o ou, da melhor maneira, derretendo-o com fogo. É claro que eu escolhi a segunda opção e confesso que esse tipo de abertura da garrafa dá um ar de ritual interessantíssimo, a medida que a cera vai derretendo, gotas dela começam a pingar e são gotas de coloração vermelho sangue, muito bonitas.

Agora imaginem vocês apreciando a cerveja Medieval em um bar lotado.... ao fundo surge o garçom portando uma bandeja com os seguintes objetos sobre ela: uma garrafa pequena de cor negra com rótulo marrom repleto de símbolos planetários, um cálice e uma vela acessa. Ao aproximar-se da mesa o garçom pinga duas gotas de vela derretida em sua mesa para fixar a vela, neste instante pega a garrafa de cerveja e aproxima o gargalo junto à chama de fogo, assim começa a pingar gotas semelhantes a sangue em sua mesa até aparecer uma tampa metálica preta, com um símbolo alquimista planetário. Após destampa-se a garrafa e serve-se essa impressionante cerveja em um lindo cálice.... Garanto que por alguns segundo você irá se imaginar em um taberna medieval. Com tudo isso podem ter certeza que mais alguém no boteco vai querer experimentar a cerveja Medieval.

Bem... vamos falar sobre a parte líquida desta cerveja.

A cerveja Medieval tem uma coloração dourada puxando para um avermelhado, com espuma levemente bege de boa duração com minúsculas bolhas, dando uma certa cremosidade no colarinho.
Tulipa

Em relação ao paladar desta cerveja sente-se de início um gosto levemente adocicado que logo se transforma em notas frutadas misturadas com especiarias (destacando algo entre cravo e coentro), com uma leve acidez que permanece no retrogosto. É uma cerveja encorpada, que deixa uma leve sensação de álcool na boca.

Já o aroma evidencia bem o cheiro frutado, lembrando, de forma agradável, laranja, misturado com notas florais do lúpulo e um pouco de cravo. Simplesmente uma cerveja imperdível, que deve ser experimentada por quem gosta de cervejas especiais.



Copos recomendados para apreciar essa enigmática cerveja: Tulipa (utilizado na ocasião) e Cálice.
Cálice


Ahhh... já ia esquecendo, como disse anteriormente na tampa dessa cerveja vem estampado um símbolo planetário e cada tampinha muda de símbolo. No meu caso eu peguei a tampinha com o símbolo de Netuno (eu acho!!!).



Fontes de pesquisa: