Beba com responsabilidade e se beber não dirija.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

40 - KRIEK BOON

Copo estilo Taça

Cerveja: KRIEK BOON
Cervejaria: N.V. BROUWERIJ BOON
Estilo: Fruit Lambic
Teor Alcoólico: 4%
Local de origem: Lembeek, Bélgica.
Degustada: 29/10/2011

Estimados amigos leitores do Blog Cervejas Especiais hoje iremos falar sobre uma cerveja bem diferenciada a Kriek Boon, uma cerveja de fermentação espontânea.

As cervejas que são produzidas pelo método de fermentação espontânea são chamadas de Lambic (nome dado ao processo de fermentação), são cervejas totalmente atípicas e pouco conhecidas no Brasil, pelo seu processo de produção ser demorado e pelo seu alto custo.

E por que fermentação espontânea? Nessas cervejas a fermentação é feita por fermentos e microorganismos que se encontram nas caves onde as mesmas são produzidas. Assim, o tempo se encarrega de fermentar a cerveja.








Geralmente são feitas de trigo, porém não são adicionadas propositalmente leveduras no mosto, deixa-se a cerveja parada, muitas vezes em grandes recipientes abertos, para que os microorganismos existentes no ar da cervejaria “contaminem” o mosto, que irá fermentar e azedar, gerando álcool. Assim, a fermentação fica a cargo dos agentes naturais, os quais são encontrados somente numa pequena área de cervejarias ao redor de Bruxelas, mais precisamente na cidade de Lembeek (daí o nome do estilo de fermentação Lambic). Trata-se de um tipo muito peculiar de cerveja, dotada de uma gama extremamente numerosa de aromas, os quais vão do frutado (como framboesa, cereja ou banana), compreendendo as cervejas de estilo Fruit Lambic, ao extremamente cítrico (como vinho branco ou vinagre), como as Gueuze.

No que se refere a KRIEK BOON, podemos dizer que ela se enquadra no estilo Fruit Lambic, pois a ela são adicionadas, na fase final de fermentação, cerejas (Kriek), assim é uma cerveja com fruta e não de fruta.

Adiciona-se cereja nesta cerveja para encobrir o aroma e gosto azedo (vinagrado) que resulta da fermentação espontânea, aumentando sua drinkability.

Essa cerveja é fabricada com uma mistura de cervejas Lambics velhas e jovens e no decorrer da fermentação adiciona-se grande quantidade de cereja.

Bem... vamos falar da cerveja então....

A Kriek Boon revelou-se uma ótima cerveja, confesso que tinha certo receio em experimentá-la, pois onde eu lia sobre ela todos falavam que era uma cerveja azeda, com gosto de vinagre.... MENTIRA... é uma cerveja com gosto e aroma de cereja (e não poderia ser diferente) com leves traços de azedo, mas nada que seja insuportável ou repugnante.

Lembra bem uma espumante rosé brut....É uma cerveja de coloração rubi (rosé) e de espuma também rosé, porém mais leve, de baixa duração.

Como dito, a Kriek Boon tem gosto inicial de cereja, levemente azeda, acidez baixa, permanecendo retrogosto de cereja levemente azeda. Já no aroma sobressai o de cereja e carvalho.

Sua composição leva: água, malte cevada, trigo não maltado, lúpulo, cereja e açúcar.

É a típica cerveja para ser degustada com sobremesa... na ocasião a Kriek Boon foi harmonizada com sorvete de creme e chocolate, que realçou o sabor de cereja da bebida.
Harmonização com sorvete

Copo ideal para apreciar a Kriek Boon: Taça.


Fontes de pesquisa:

MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.


Site Kriek Boon: http://www.boon.be/


Um comentário:

  1. Na Sta Cerva do Ipiranga tem! Vale a pena experimentar!

    ResponderExcluir